Salvem os Bernes!

Imagem

“Muito mais legal que o Free-Willy!”

Este é o primeiro post da categoria “Escatologia com conteúdo” do meu, do seu, do nosso Curiozoo (homenagem à MTV).

Vamos combinar uma coisa, né?? BERNES são mil vezes mais legais do que baleias!

Estou sumido, mas não vou justificar….a justificativa tá num dos outros 2 textos que já fiz pela metade. #ficaadica

A idéia deste post se deu a uns 15 minutos atrás numa conversinha no twitter, que apesar de ser bem chato algumas vezes, possibilita momentos mágicos! Mágico como discutir sobre moscas que botam ovos em seres humanos e estas se alimentam de sua carne durante a fase larval, numa quinta-feira a noite!

Antes de tudo temos que saber o que é miíase (lembrem-se!!! Sou ornitólogo – não médico, não entomólogo, não cubano – qualquer erro cometido fique a vontade para corrigír). Encontrei uma definição interessante num artigo de um site de uma associação dessas doenças escrotas causadas por larva no Reino Unido (aqui):

” Miíase é definida como uma infestação causada por larvas de representantes da ordem Diptera (moscas verdadeiras; cujos adultos possuem apenas 2 asas) que se alimentam por tempo variado no tecido (morto ou vivo), substâncias corpóreas, ou comida ingerida de humanos e/ou demais vertebrados”. Lindo isso né??

Dentre os vários “tipos” de mosca (uns 36) que infectam o homem, uma é mais conhecida por nós brasileiros – a mosca-do-berne (Dermatobia hominis).

“Ahhhh…eu sei! Aquela mosca-verde nojenta que fica voando perto do saco de lixo na esquina da minha rua, ou no meio da sala da casa do Lama e do Marcão, ou lá na 5Bola! Varejeira, né?”

Não. A mosca-varejeira (Cochilomyia hominivorax) pode causar um tipo de miíase também, colocando ovos em ferimentos abertos, mas não é a mesma da mosca-do-berne.

A mosca-do-berne não é facilmente observada, muito por que não é ela que bota os próprios ovos no hospedeiro. A maldita coloca ovos em outros insetos, geralmente moscas-comuns e mosquitos pois esses são atraídos pelos hospedeiros. Assim que uma mosca pousa em você pra dar um golinho no suco de suor mais sebo de sua pele, ou uma mosquita vem chupar seu sangue precioso, e caso eles tenham ovos de berne, o calor de seu corpo (ui!) aciona um gatilho no ovo que é lançado em sua pele.

Quando ele (o ovo) eclode, o lindo bebezinho entra na sua pele (não sei como ele faz isso especificamente) e a diversão começa! O bonitinho vai se alimentando da sua carne…crescendo, mudando de fase (1, 2 e 3) até chegar o dia!

“Que dia?? A mosca sai voando direto do corpo do hospedeiro? Eca!”

Não. O berne não faz isso…caso alguém seja doido ou desleixado o suficiente (ou caso seja um cachorro de rua, uma vaca, um animal selvagem, etc) chega um dia que a larva sai sozinha do buraco quente, cai ao solo, vira pupa e metamorfoseia em nova mosca adulta.

O mais legal disso tudo é que eu já tive berne, mas obviamente, meu irmão-galâ teve muito antes que eu, com 3 anos de idade…e na cabeça! Eu acho, sinceramente, que este episódio da vida dele tenha sido demais…e pra minha mãe também que ficava afogando a larva com vaselina e tentando puxar a pontinha do tubo respiratório dela com uma pinça de sobrancelha a madrugada inteira enquanto meu irmão dormia! Esses episódios moldaram meu caráter! hahahahaha

Mas apesar de moldar caráter esse primeiro contato com o Berne não foi muito proveitoso…..ok, lembro de ver a larva botando o tubo respiratório pra fora, minha mãe quase pegando ela e meu irmão xingando o médico com os palavrões mais absurdos com 3 anos de idade – parêntese: (Mãe…aquilo nunca funcionaria – já explico!)….mas lembro muito pouca coisa da experiência com o bicho. Lembrem-se: sou nerd.

Lembro de ver a larva que o médico arrancou da cabeça do meu irmão, estrebuchando no vidrinho com líquido de cheiro bom (eu era muito novo e não lembro o q era….mas era algo tipo éter ou álcool), mas só isso. Hoje eu sei que a larva na cabeça dele era de nível 3, igual a da foto acima!

Senti a verdadeira experiência quando começei a ir bastante pro mato fazer trabalhos de campo com ornitologia e conheci uma coisa muito comum a todo biólogo que passa um pouco de tempo no mato…..as relações de ectoparasitismo.

Já peguei berne, carrapatos (vários tipos), pulga de tatu, fungo no olho, etc….acho q vou colocar essas coisas no meu Currículo Lattes!

Voltando ao berne: a ferida começa sussa….tipo uma picada de mosquito, só que ela nunca melhora. Depois de um tempo coça mais e começa a sair um líquido incolor da ferida. Nessa hora acontece a epifania! Você olha para aquela merda e fala….q p%ˆ$&!! E dá uma espremida….sai mais suquinho incolor e uma coisa estranha q parece uma micro-rendinha preta….bom, isso é MERDA de larva de berne!!PQP!

É nojento, mas é legal!

Aí tem q matar a larva….a galera das antigas colocava toucinho na ferida pra larva subir até ele e ficar presa, não sei se funciona.

Todas as 5 que eu já tive e arranquei sem dor, foi utilizando a técnica do “sufocamento por esparadrapo” (ainda bem q o PETA não liga pras larvas de berne…nem imaginam que sejam os substitutos ecológicos das foquinhas do ártico!!). Para sufocar, coloque um quadrado de esparadrapo em cima da ferida por 24hs e pronto!

No dia seguinte vc tira o esparadrapo DEVAGAR e todo o tubo respiratório do bicho tá pra fora e ele tá morto dentro de você (olha a situação….isso é melhor que a que enfrentava anteriormente, ser comido vivo)….mas aí é só espremer igual espinha, por que com o bicho morto ele não tenta ficar grudado no tubo com a cinta de cerdas do seu corpo que evita que o bicho seja arrancado!! (Viu mãe…vc ia ficar puxando a larva e ela querendo ficar lá dentro até rasgar, morrer, ficar podre e dar mais trabalho pro Dr. Leonardo do que só abrir um rasgo na cabeça do Gustavo e ouvir umas verdades!hahaha)

Sai um pouco de pus, sangue e coco de berne depois, mas cura rápido! E quando ela tá viva, dá pra sentir picando de leve dentro do buraco e te comendo vivo, é dimais!!

Acabou

ps.: o interlocutor da conversinha de twitter foi @oatila que escreve coisas geniais aqui

Foto do berne aqui

Pra saber TUDO sobre berne e miíases fudidas, nojentas, fedidas e barulhentas AQUI nesse site muito foda!!

Escrevi isso em 2hs…é terapêutico.

Anúncios

Sobre Guilherme Brito

Zoólogo paulistano, atualmente mora do Rio de Janeiro onde faz pós-doutorado com relações filogenéticas de Ardeidae (garças) baseado em caracteres osteológicos no Setor de Ornitologia do Museu Nacional da UFRJ. Amante extremo de anatomia de aves e toda e qualquer curiosidade zoológica.

Publicado em 27 de setembro de 2013, em Uncategorized e marcado como , , . Adicione o link aos favoritos. 13 Comentários.

  1. Caraca, Lama. Muito bom. Faltou dizer que biólogo de campo tem que saber reconhecer berne pois médico de cidade em geral não saca. Já tive amigo com biópsia marcada pra ‘tumor’ de berne.

  2. Lama, a uns 10 meses fui berçario de um $@ss desses na canela, a cicatriz fica para lembrar , guardei o dito em um pote mas a Ita deve ter mandado para o aterro. Abraço

  3. Matei as saudades daquele momento do Gu, eh, eh…. e copiarei a tia caso ela não esteja na lista de seus destinatários. Ó, em 12 anos criando vacas em Itaju nunca apareceu um simples berne em nenhuma delas, pudera o quanto se banhava os animais com veneno contra carrapatos e mosca-de-chifre….. Abração

  4. Francisco Mallet Rodrigues

    Eu sou um desses doidos que você se referiu no texto, Guilherme. Durante dois meses convivi com um berne na cabeça, até que a larva saísse naturalmente. Infelizmente, depois de todo esse tempo ela morreu antes de empupar. Foi uma experiência dolorosa, mas tornou-se mais dolorosa pq não puder ver a cara do inseto na fase adulta. Lamentável!
    P.S. Antes que façam algum comentário sobre minha sanidade mental, esclareço que ter um berne embaixo do couro cabeludo é melhor do que aquilo que muitos por aí têm dentro da cabeça.

    • Genial Mallet! Eu até pensei em deixar um dos que tive completar o ciclo….mas não consegui era muito escroto, o que eu esqueci de falar é que o nome técnico dessa infecção é dermatobiose furuncular, ou seja a ferida fica lembrando um furúnculo! E seu PS foi espetacular! Grande abraço

  5. muito bom Lama, bela iniciativa falar de zoologia que é um assunto foda e do maneira bem engraçada e divertida, ri muito lendo o texto, abs

  6. Sensacional Lama!
    Vc nasceu pra ensinar!!!!

  7. Lembrei do Gustavo, que era do setor, contando que estava com uma larva perto da costeleta. O irmão falou pra encher com uma pomada a ferida porque achavam que era uma mordida… deve ter sufucado o bicho, que pulou da cara dele sobre a mesa durante um almoço…

  8. Demaaaaais Lama!!! Ri muito… principalmente com os comentários da sua mãe!! hahah

  9. Adorei! Um dia desses me peguei numa discussão sobre berne e outros parasitas. E a vontade que tenho de espremer um…

  10. Diana Rocha Monteiro

    Meu deus ri demais aqui! Só você cara.Parabéns muito louco.

  11. Guigui vc é demais !!! Obrigado pelo “irmão galã”…. a unica coisa que eu me lembro é xingando o puto do médico( Dr. Leonardo) pq doeu pra caraio!!! kkkkk
    E faltou mencionar o tio Lalo colocando Bacon na minha cabeça pro bixo sair!!

  12. Angela Maria Renzo Rocha Brito

    ai,ai, lembrei de tudo! Vcs podem imaginar o q foi p mim (a mãe) saber q tinha um bicho na cabeça do MEU filho?!?!?! Sim, já fui mais louca…..
    Agora saber q o mais velho, então c 5 anos, já gostava do cheiro de formol foi demais kkkkkkk, chorei de rir Guilherme
    Parabéns bj

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: