Pfeilstorch

Achou que tinha escapado!

Achou que tinha escapado!

Imagine-se agora num pantanal em algum lugar da planície centro-africana nos idos de 1822, e você é uma cegonha. Sim! Um lindo exemplar de “cegonha-branca”, ou Ciconia ciconia (Linnaeus, 1758), mas hoje você não vai carregar bebês.

Vai andar pelos campos gramados, pântanos rasos e áreas rurais em busca de comida. Essencialmente carnívora come “tudo o que se mexe e cabe no bico”. Insetos, crustáceos, peixes, anfíbios, repteis, pequenos mamíferos e aves. Você é um bicho que come pra cacete!! Come muito e quando tá com calor fica cagando nas próprias pernas, pois com a pele muito fina, aves não possuem glândulas sudoríparas[1].

Tem um motivo de comer muito, mas não é aquele amor perdido que causa isso. Ciconia ciconia possui conhecidos e longos movimentos migratórios, é final de fevereiro e amanhã você vai começar voltar pra Europa pois lá finalmente irá dar uma transadinha. Cegonhas-brancas demoram cerca de 49 dias para chegar, é muita vontade de ter filho!!

Mas nem sempre foi assim, durante muito tempo humanos não tinham a mínima ideia do que acontecia com animais que desapareciam periodicamente, eram conhecidos os períodos com precisão, mas nada mais que isso.

De volta ao brejo africano, você identifica um muçum, peixe Synbranchiforme de corpo alongado e anguiliforme[2]; um secretor de muco, com abertura branquial reduzida, cor escura e delicioso! Você se farta hipnotizado com tão rico alimento que nem percebe o guerreiro de uma tribo africana[3] a espreita com uma lança.

Quando você o vê, se assusta, alça vôo e passa a meia altura bem devagar por cima dele[4]. O lançamento é perfeito com a lança atingindo-lhe o pescoço e milagrosamente passando entre o espaço coluna vertebral/traqueia+esôfago[5], causando danos importantes, mas não fatais ou muito limitadores de movimentos. Com isso você continua voando, caga de medo na cabeça do fdp do guerreiro e resolve partir na mesma hora para a Europa.

Uma viagem que demoraria em média 49 dias para ser feita por uma cegonha-branca saudável e bem alimentada, deve demorar mais pra uma com uma porra de uma lança encravada no pescoço! O cansaço é inevitável, então paradas periódicas são bem vindas.

Mas você é uma cegonha-branca-mano (yo!)! Sim, você é um cara da perifa, oprimido pela sociedade das cegonhas e forçado a nidificar no limite norte da distribuição da espécie. E demora pra chegar em casa! Uma das paradas é o simpático vilarejo de Klütz no estado de Mecklemburg-Vorpommern na Alemanha aos vinte e um dias do mês de maio de 1822.

Sendo um cara esperto (yo!), não fica muito perto do vilarejo, pois humanos são meio malucos. Fica perto de um lago afastado, onde um naturalista alemão adorava dar seus passeios vespertinos.

Qual seria a ação tomada pelo nosso naturalista alemão ao observar uma cegonha com uma lança enfiada na garganta?

1.) Grito agonístico[6].

2.) Empunhando sua cartucheira calibre 12, carregada com cartucho com chumbo 3 (cegonha é grande), mira e também é certeiro, mas agora você não escapa.

Ao chegar perto do espécime recém-abatido, nosso naturalista, com profundos conhecimentos de antropologia identifica a flecha como sendo de uma tribo Centro-Africana. Sua cabeça explode por um momento.

Aristóteles achava que quando as cegonhas sumiam no inverno, estariam hibernando em algum lugar junto com todas as outras aves que sumiam também! Provavelmente no fundo do mar.[7]

Será que este bicho vai até a África durante o inverno pois lá o tempo é gostosinho e não congelante, e daí elas voltam pra se reproduzir?

Pláu[8]!

Zoologia é foda.

ps1.: desde essa primeira existem mais 25 casos de cegonhas flechadas ou Pfeilstorch em museus europeus.

ps2.: esta encontra-se na Universidade de Rostock.

ps3.: hoje é sabido que certas Ciconia ciconia fazem viagens de 20.000Km ida e volta e se juntam em bandos que possuem até 100Km de distância.

[1] cagando+mijando (aves soltam junto): com as pernas molhadas, o sol evapora o líquido do coco e o bicho dá uma esfriada.

[2] forma de enguia

[3] não encontrei a etnia, caso alguém saiba avise que eu coloco e agradeço!!

[4] parece uma decisão idiota, mas não vamos discutir sobre decisão de um bicho que nem temos idéia do que pensa!! O texto é meu e eu decidi que o bicho ia fazer merda!

[5] todos conectados por um tecido conjuntivo frouxo (fásceas)

[6] Mein Gott!

[7] Sim! É verdade.

[8] onomatopéia de paulada na cabeça

Anúncios

Sobre Guilherme Brito

Zoólogo paulistano, atualmente mora do Rio de Janeiro onde faz pós-doutorado com relações filogenéticas de Ardeidae (garças) baseado em caracteres osteológicos no Setor de Ornitologia do Museu Nacional da UFRJ. Amante extremo de anatomia de aves e toda e qualquer curiosidade zoológica.

Publicado em 19 de março de 2015, em Uncategorized. Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

  1. Coitado do guerreiro, tanto trabalho para fazer sua flecha e a Ciconia ciconia (vai sem usar o itálico, mesmo) rouba-a. Ela parece o leão do IR.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: